O porto romano de Olisipo – recriação histórica com figurantes

9

Filmagem com figurantes onde se pretendia recriar os momentos da chegada de ânforas romanas ao porto de Olisipo

Esta recriação histórica contou a participação da Ordem de Cavalaria do Sagrado Portugal – sessão romana.

Queremos agradecer publicamente ao João Monjardino e ao João Paulo Merca o incansável apoio e participação nesta ambiciosa recriação para o documentário.

11

O cenário escolhido para as gravações foi o porto palafitico do Samouco, no concelho de Alcochete, onde fomos recebidos com grande entusiasmo e satisfação.

Ao senhor Rui da Praia e ao senhor Jorge Areias o nosso obrigado por disponibilizarem um cais de madeira e a embarcação onde decorreram as filmagens.

MVI_9372

O vestuário utilizado na recriação histórica foi confeccionado por Teresa Losada, pelo fica o nosso agradecimento.

Agradecemos aos fotógrafos da Empresa Preto & Prata o registo fotográfico que nos foi oferecido.

MVI_9358

Como é do conhecimento da maioria dos seguidores deste documentário infelizmente não conseguimos reunir apoios financeiros para este filme. Era importante realizar esta recriação, que em muito veio a enriquecer os depoimentos do documentário.

3

Através de um pedido feito na rede social do Portugal Romano no Facebook conseguimos reunir em donativos 265€ que nos ajudaram a fazer face a despesa de produção desta filmagem orçamentada em 375€.

2

A todos os que colaboram com donativos o nosso agradecimento,

Obrigado ao

Eduardo Nuno Oliveira
Manuel Cunha
Associação de Informática de Castelo Branco
Carlos Campos
Rui Coutinho
Paulo Damas Ramos
Cátia Mendes
Sara Almeida e Silva
Marisa Ferreira
Odete Martins
Soledade
Joaquina Soares

Agradecemos a todos a vossa participação no filme e esperamos contar com a vossa presença na ante estreia do documentário prevista para de 2015.

Obrigado

16

Anúncios

Olaria romana – A produção de Ânforas

Ao longo dos vários séculos de ocupação romana da cidade de Lisboa existiram fortes ligações entre a produção dos preparados de peixe, com as suas fábricas bem atestadas arqueológicamente na actual baixa pombalina e ao longo do rio Tejo.

Estas fábricas e outras unidades de produção de bens alimentares eram servidas por olarias romanas onde se produziam ânforas para transporte destes bens alimentares para exportação para todo o império.

Olaria romana da Quinta do Rouxinol. Seixal © Todos os direitos reservados / Imagem retirada do documentário.

Olaria romana da Quinta do Rouxinol. Seixal © Todos os direitos reservados / Imagem retirada do documentário.

“As valência portuárias da Lisboa romana são coisas muito complexas, tem a ver com a produção de bens alimentares e de outros que se fazia na própria zona do estuário. Temos as olarias romanas na margem esquerda, as unidades de produção de preparados de peixe na margem direita, temos provavelmente também produção vitivinícola e oleícola aqui na zona grande estuário, portanto estendendo-se a montante até Vila Franca e mais a montante ainda…”

Depoimento de Carlos Fabião retirado do documentário

***

O documentário apresenta estas evidências arqueológicas e reconstitui o fabrico das ânforas.

Para melhor compreensão do espectador, promovemos com o auxílio do oleiro tradicional Paulo Franco, a elaboração de ânforas usando métodos muito semelhantes aos de época romana.

Oleiro tradicional Paulo Franco © Todos os direitos reservados / Imagem retirada do documentário.

Oleiro tradicional Paulo Franco © Todos os direitos reservados / Imagem retirada do documentário.

As ânforas que aqui se fabricam seguem em linha com o tamanho e forma das unidades produzidas nas olarias romanas, sendo copias fies das produções lusitanas atestadas nas escavações arqueológicas realizadas na Olaria romana da Quinta do Rouxinol, no concelho do Seixal.

Oleiro tradicional Paulo Franco © Todos os direitos reservados / Imagem retirada do documentário.

Oleiro tradicional Paulo Franco © Todos os direitos reservados / Imagem retirada do documentário.

Agradecemos ao oleiro Paulo Franco e à Olaria Tradicional de Álvaro Silvestre Gomes todas as facilidades concedidas para a realização das filmagens.